Intermundos

Não eram sete horas da manhã daquele domingo ensolarado, quente, de verão, quando João, após uma prolongada noite de sono, acordou, sobressaltado, atormentando-o um pesadelo, animado por uma criatura extraordinariamente horripilante, e cujo teor emergiu-o das profundezas desconhecidas da alma, na superfície tranquila, no fundo agitada, e ergueu-se, sem se retirar de sob o fino lençol que o cobria durante a noite, protegendo-o do assédio de pernilongos irritantes, todos a lhe cantarem aos ouvidos canções que lhe feriam os tímpanos e atormentavam-lhe o espírito não o permitindo conciliar o sono, ao qual sucumbiu devido o cansaço que lhe roubara, no dia anterior, uma parcela significativa de suas energias, e sentado, agitado o coração, arregalados os olhos, nada podendo ver, pois reinava, no quarto, escuridão absoluta, perguntou-se, confuso, se acordara, ou se ainda vivia em um universo onírico, cuja realidade, fantástica, envolvia-o, perturbando-o, e procurou, circunvagando o olhar pela escuridão reinante, à procura de uma explicação aos eventos que em sonho vivera durante ou segundos, ou minutos, ou horas, os quais ele suspeitava reais, mas acreditava fictícios, uma resposta que o norteasse, certo de que encontraria, nas trevas que o envolviam, o monstro que lhe ia no encalço, numa região lúgubre, mas, reconheceu, tinha em torno de si apenas a escuridão, e, superando a linha tênue que separava do sonho a realidade, pôde tomar consciência de que se encontrava, nu, no seu quarto, sobre a cama, sentado, sob um lençol, o coração alvoroçado em decorrência do terror que o assaltara durante o sono, e refeito do susto, o qual lho inspirou um ser fantástico, organizou os seus pensamentos, e, recuperando o governo de seu corpo, controlou os batimentos de seu coração, retirou-se de sob o lençol, e andou, passos firmes, até o interruptor, localizado à direita da porta, premiu-o, e dominou o quarto a luz proveniente da única lâmpada que lá havia, no teto, enceguecendo-o a ele, João, que, então habituado à escuridão que no quarto reinava, levou, de imediato, a mão esquerda aos olhos ao mesmo tempo que cerrou as pálpebras, e assim que as descerrou, os olhos ainda sob a sombra projetada pela mão, e à luz se acostumando, viu, diante de si, uma criatura extraordinariamente horripilante, que abriu a bocarra, engoliu-o antes de ele atirar o grito que o terror lhe inspirara, e premiu o interruptor… e as trevas reconquistaram o seu reino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

Dragão Metafísico

Depósito de palavras, pensamentos e poesias.

%d blogueiros gostam disto: