Capitão América: soldado invernal

No filme Capitão América: Soldado Invernal há uma cena emblemática: a em que Steve Rogers (o Capitão América) e Natasha Romanof (a Viúva Negra), numa base militar secreta, ouvem Ernin Zola, um cientista da Hidra, agora reduzida a sua inteligência a um sistema de programas de computador, inteirá-los da estratégia da Hidra para dominar o mundo.
Eu já havia assistido ao filme não muito tempo após o seu lançamento em dvd, e não me recordo se atentei, naquela ocasião, à cena que agora destaco.
A estratégia da Hidra para a dominação do mundo distingue-se, salienta Ernin Zola, da empregada, pelos nazistas, na 2a. Guerra Mundial; não consiste, como a dos nazistas, em empregar a força contra o povo que se deseja oprimir.
Os nazistas, em sua agressiva estratégia de dominação, inspira aos povos reação, em defesa da liberdade, então ameaçada, para evitar que ela lhe seja roubada; assim enfentam os nazistas revoltas, que lhes impõem derrotas, estendendo os conflitos, cujo desenlace, como se sabe, não lhes foi favorável. Os estrategistas da Hidra (que vem a ser, em tal história, uma espécie de organização nazista mais sofisticada) concebem, então, cientes das razões do fracasso de sua antecessora, uma outra estratégia, para dominar o mundo: Em vez de iniciar um empreedimento bélico contra um país, infiltra a Hidra seus agentes na SHIELD (certa de não poder desafiá-la num embate direto), organização rival, representante do mundo livre, corrompendo-a, usando dos recursos dela, e agindo em nome dela, para produzir o caos em diversos países, manipulando os povos, sem que eles o  percebam, envolvendo-os em conflitos, cujo desenlace é incerto, e os povos, amedrontados, suplicam por soluções, e será a própria Hidra (agora tendo o controle de considerável parcela da SHIELD) que lhas oferecerá, e o fará, oprimindo-os; e em tal empreendimento os converte a Hidra numa massa amorfa, maleável, sugestionável, submissa, favorável às políticas da Hidra, e em nenhum momento desconfiam que estão sendo oprimidos, pois não a têm como opressora, têm-na como protetora, libertadora. Aliás, eles não têm a Hidra como libertadora, pois da existência dela eles nem sequer desconfiam; eles têm a SHIELD como libertadora, protetora (Faço uma comparação com a realidade: os comunistas, ao decretarem a morte do comunismo, dando-se, portanto, como inexistentes, avançam em seu empreendimento sem que se lhes imponham obstáculos). E a concepção de tal estratégia, que não é uma fantasia sem respaldo na realidade, não se deu na cabeça dos roteiristas do filme; deu-se na cabeça de estrategistas políticos.
E para se ter um vislumbre da sofisticação (em sua simplicidade) e do alcance de tal estratégia é recomendada a leitura de artigos, que versam sobre o tema, de Olavo de Carvalho, que a respeito já escreveu muito; em alguns de seus artigos, ele trata da infiltração, por agentes comunistas, de organizações americanas (a história de McCarthy é um exemplo clássico) e do governo americano, e da ação, nos meios de comunicação de massa ocidentais, dos comunistas. E é recomendada, também, a leitura do livro Desinformação, de Ion Mihai Pacepa, general romeno que muitos serviços prestou aos comunistas enquanto ocupava (na sua outra vida, como ele à ela se refere) um cargo de importância na hierarquia do movimento comunista, e que, atualmente vivendo nos Estados Unidos, presta inestimáveis serviços ao mundo livre, revelando as artimanhas diabólicas dos comunistas – e os que se batem contra os comunistas podem aquilatar o valor das revelações de Ion Mihai Pacepa, reconhecendo-se os ganhos que se teve na compreensão do modo de pensar e de agir deles.
Contrariando as expectativas, e superando-as, Capitão América: Soldado Invernal, um filme de super-heróis, gênero literário para o qual muita gente torce o nariz, revela-se muito mais do que um filme – e não é exagero dizer que ele é, respeitando-se as limitações do gênero, um tratado político. Dá o filme uma trama cujos protagonistas reproduzem valores da nossa sociedade e um dos mais satânicos truques que a inteligência humana já concebeu.
E não muitos dias depois, li, de Ricardo Roveran, uma resenha do filme Capitão América: Soldado Invernal. Em um determinado trecho, refere-se ele à Teoria da Subversão, de Yuri Bezmenov; e tal teoria é a que sustenta a estratégia da Hidra.
Estou, hoje, convencido de que os filmes de super-heróis estão repletos de teorias políticas, não se resumindo, portanto, a entretenimento unicamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

Dragão Metafísico

Depósito de palavras, pensamentos e poesias.

%d blogueiros gostam disto: