Limpa chaminés (Dirty Work, 1933) – um filme de O Gordo e o Magro

Neste curta-metragem, de um pouco menos de vinte minutos, dirigido por Lloyd French, e com roteiro de H. M. Walker, a dupla mais engraçada, atrapalhada e divertida do cinema universal, depara-se, ao entrar num casarão, com o doutor Travão (Lucien Littlefield), cientista, proprietário do casarão, e com Jequié (Samuel Adams), o mordomo. As figuras destes dois coadjuvantes contrastam-se: cada uma segue a do figurino pitoresco estereotipado: a do doutor Travão, a do cientista louco; a de Jequié, a do mordomo esnobe, pernóstico. A do doutor Travão é encantadoramente hilária (e a voz do dublador cai-lhe bem): mirrado, careca no topo da cabeça, e de trejeitos que lembram a de um doido-varrido.

As cenas alternam-se: no laboratório, o doutor Travão está ocupado com as suas experiências, que o levam a criar a fórmula do elixir da juventude, à qual ele se dedicava havia vinte anos; e na sala da lareira, Ollie (Oliver Hardy – o Gordo) e Stan (Stan Laurel – o Magro). E Jequié transita entre as duas cenas. Na execução do trabalho de limpeza da chaminé, Ollie e Stan organizam-se – ao modo deles, obviamente; e Ollie sobe ao telhado, e vai até a boca da chaminé; e Stan permanece, no interior da casa, na sala da lareira. E a confusão, tão disparatada, tão aguardada por quem assiste ao filme na expectativa de ver cenas hilárias, dá-se num ritmo, tão alucinante! que faz o expectador perder o fôlego, e chorar, de tanto rir. As cenas, impagáveis. E é Stan, o Magro, o atrapalhado da dupla, e é Ollie quem recebe tijolos na cabeça e quase tem a cabeça arrancada por tiro de espingarda.

Em certo momento da aventura rocambolesca dos dois atrapalhados e desastrados limpadores de chaminés, está Ollie, no telhado, à boca da chaminé, e Stan, no piso, no interior da casa, à lareira. Stan, a escova enfiada na lareira, e na escova conectada um cabo, e neste cabo outro cabo, e um cabo neste – mas a escova não chega até Ollie, à boca da chaminé, no teto -, para encompridar um pouco mais o cabo conecta, na extremidade que tem consigo uma espingarda. O absurdo da cena é tal que é impossível quem assiste ao filme não antever o desastre que irá se suceder. Um pouco antes do desenrolar desta cena, Ollie, puxando pelo cabo, erguera, pela chaminé, Stan, e, em seguida, soltara-o, e ele despencara, pelo interior da chaminé, até a lareira.

Enquanto tais cenas ocorrem no telhado e na sala da lareira, no laboratório o doutor Travão segue com as suas experiências: corta, em duas, com uma tesoura, uma gota; põe um pato numa banheira cheia de água; e, com um conta-gotas pinga uma gota da solução rejuvenescedora na água da banheira, e ao final desta experiência está o pato transformado num patinho. Encerradas as suas experiências, o teste com o pato provando-lhe que a fórmula rejuvenescedora estava criada, convida Ollie e Stan para assistir, no laboratório, à uma experiência; e rumam os três personagens ao laboratório; lá chegando, o cientista explica aos seus dois apalermados convidados a experiência; e na banheira cheia de água está o patinho; e o doutor Travão pinga, com o uso de um conta-gotas, na banheira, uma gota da poção rejuvenescedora, e o resultado põe embasbacados e boquiabertos, e de queixocaídos, Ollie e Stan. E na sequência, o doutor Travão sai do laboratório, para ir em busca de Jequié, para usá-lo na experiência seguinte, que desejava realizar, e no laboratório deixa Ollie e Stan, que, na ausência dele, decidem fazer uma experiência, cujo resultado é de um nonsense de arrancar gargalhadas do mais sisudo e mal-humorado dos homens.

Na versão original do filme, o doutor Travão chama-se Noodle; e o mordomo Jequié, Jessup. E com o nome do mordomo, Jequié, na versão brasileira faz-se um trocadilho com a cidade de Jequié, bahiana.

Uma curiosidade: Nos Estados Unidos, a série estrelada pro Oliver Hardy e Stan Laurel recebe o nome destes dois atores, Laurel & Hardy; e no Brasil o de O Gordo e o Magro; e em Portugal, Bucha e Estica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Por Yla Meu Blog

Escritora ○ Poetisa ○ Romancista ○ Lírica

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

%d blogueiros gostam disto: