Entrevista com o senhor Nulo da Silva, candidato a prefeito – parte 2 de 5 – publicada no Zeca Quinha Nius

Bem-sucedidos em nosso esforço de afastar o entrevistador das garras do senhor Nulo da Silva, candidato a prefeito pelo Partido Extraordinário de Inteligentes Democratas e Eminentes Intelectuais (PEIDEI – mas não fui eu), e este das garras daquele, publicamos a 2ª parte da entrevista que o senhor nulo da Silva gentilmente concedeu-nos.

ENTREVISTADOR: Já tratamos, senhor candidato, nesta entrevista, da sua proposta para eliminar, desta cidade, o desemprego, e da carga tributária falou-nos o senhor…

NULO DA SILVA: Sei do que já tratamos, entrevistadorzinho de araque. Não precisa me dizer o que eu já sei. Você me toma por um pessoa de memória curta, bestalhão?

ENTREVISTADOR: Senhor candidato, sejamos civilizados…

NULO DA SILVA: Então não me tome como um tolo desmemoriado.

ENTREVISTADOR: Retomemos a entrevista.

NULO DA SILVA: Retomemo-la. E pense nas perguntas que você irá me fazer. Se você fizer uma pergunta que me desagrade… Já viu!

ENTREVISTADOR: O senhor está me ameaçando, senhor candidato?

NULO DA SILVA: Não. ameaçando você, não estou. Estou aconselhando você a tomar cuidado com a própria língua. Não tome muita liberdade, não…

ENTREVISTADOR: O que o senhor está insinuando, senhor candidato? O senhor sabe o que é liberdade de imprensa?

NULO DA SILVA: Sei. Sei. E é por saber o que a liberdade de imprensa é que eu a defendo, desde que os jornalistas não me incomodem com perguntas inconvenientes. E por que você acha que sou dono de jornais, rádios, revistas, e patrocino blogs e revistas? Por que respeito a imprensa, claro.

ENTREVISTADOR: A imprensa que está a seu favor é a única que o senhor respeita? E a que se opõe ao senhor?

NULO DA SILVA: Qual se me opõe? Nenhuma.  Toda a imprensa dissemina as mesmas idéias. De vez em quando aparece um jornalista engraçadinho bancando o espertalhão e fazendo-se de corajoso e independente. Mas ele não dura muito tempo na profissão. Cortamos-lhe as fontes de recursos, e as asas, e ele não voa mais. E se quiser voar, você terá de comer na minha mão. Fui sutil?

ENTREVISTADOR: O senhor está cerceando a liberdade de imprensa.

NULO DA SILVA: Não há cerceamento algum, atrevido. Estou apenas, no gozo do meu direito político, de estabelecer as normas de conduta a você, as quais você terá de respeitar durante a entrevista. Seja respeitoso. E não assuma a liberdade para me fazer uma pergunta que possa vir a constranger-me, ou pôr-me em maus lençóis.

ENTREVISTADOR: Lamento não poder atender ao seu pedido, que é uma ameaça, senhor candidato.

NULO DA SILVA: Vá para o diabo que carregue você e a sua avó, imbecil dos infernos. Terei uma conversa séria, muito séria, com o seu editor.

ENTREVISTADOR: O senhor é autoritário, senhor candidato.

NULO DA SILVA: Autoritário é a sua avó, cabeça de ostra.

ENTREVISTADOR: Autoritário! brucutu!

NULO DA SILVA: Farei você engolir a sua língua.


Nota: O senhor Nulo da Silva e o entrevistador arremessaram-se um contra o outro, e moeram-se de socos e pontapés. Desdobramo-nos para afastá-los um do outro, e para conservá-los distantes um do outro decuplicamos os nossos esforços.

*

Encerrada a pugna, serenados os ânimos, o entrevistador retomou a entrevista:

ENTREVISTADOR: Senhor candidato, retomemos a entrevista.

NULO DA SILVA: Retomemo-la.

ENTREVISTADOR: Quais serão as suas políticas administrativas? Sabe-se que o estado, isto é, a estrutura estatal, é dispendiosa, e se faz necessária uma reestruturação nas secretarias com fim à redução de despesas. Qual será a sua política para o melhor e mais eficiente uso dos recursos públicos?

NULO DA SILVA: Darei o básico, que é o essencial. Renomearei todas as secretarias. Dou alguns exemplos: A Secretaria da Educação chamar-se-á Secretaria da Instrução Pública; a Secretaria da Cultura chamar-se-á Secretaria das Manifestações Culturais; a Secretaria da Segurança, Secretaria do Combate à Insegurança; a Secretaria de Obras, Secretaria de Construções e Edificações; a Secretaria de Esportes, Secretaria de Atividades Físicas e Afins; a Secretaria da Saúde, Secretaria do Bem-estar Físico e Mental.

ENTREVISTADOR: Senhor candidato, as mudanças que o senhor, se eleito prefeito, empreenderá são irrelevantes, pois…

NULO DA SILVA: Pois o seu nariz é o de um intrometido sem ser querido. Você está querendo me ensinar a administrar uma cidade?

ENTREVISTADOR: Não, mas é que…

NULO DA SILVA: É que o quê, jornalistazinho de meia-tigela!? Quem terá a obrigação de administrar a cidade, se eleito prefeito, eu ou você?

ENTREVISTADOR: O senhor, senhor candidato…

NULO DA SILVA: Então, assunto encerrado. Se eleito prefeito, eu definirei as prioridades.

ENTREVISTADOR: E é prioridade renomear as secretarias?

NULO DA SILVA: Você tem pinta de encrenqueiro.

ENTREVISTADOR: É prioridade renomear as secretarias?

NULO DA SILVA: Sim. Pesquisas de opinião pública indicam que os cidadãos desta cidade querem a renomeação das secretarias.

ENTREVISTADOR: Quais pesquisas?

NULO DA SILVA: As que eu financiei.

ENTREVISTADOR: Há uma incoerência no que disse, senhor candidato. O senhor disse que irá definir as prioridades, no seu governo, se eleito prefeito, e uma delas é a renomeação das secretarias; em seguida, declarou que os cidadãos querem a renomeação das secretarias…

NULO DA SILVA: Não prossiga, entrevistador. Você vale metade de uma moeda de um centavo. Você é mais burro do que eu pensava.

ENTREVISTADOR: Não se exalte, e não seja incivil.

NULO DA SILVA: Incivil é a sua avó. Você não entendeu o que eu disse. Desenharei o que eu disse, para que você possa me entender: Financiei uma pesquisa, cujo resultado já estava de antemão definido: O povo quer a renomeação das secretarias. Entendeu até aqui? Agora, traga à sua mente oca a minha prioridade, que declarei a pouco: Renomear as secretarias. Coincidência, não? A prioridade, segundo a pesquisa de opinião pública, é a que eu defini. Entendeu o desenho, paspalho?

ENTREVISTADOR: Entendi, senhor candidato. O senhor não é nem um pouco sutil.

NULO DA SILVA: Detesto sutilezas.

ENTREVISTADOR: E quanto às reestruturações das secretarias, para reduzir despesas, eliminar desperdício de dinheiro público? O que o senhor tem a dizer aos munícipes?

NULO DA SILVA: Olhe para a minha testa. Nela está escrito ou tolo, ou imbecil, ou paspalhão, ou idiota? Não. Não está. Não sejamos ingênuos. Você quer que eu ponha a mão no vespeiro, ô da meia tigela de araque!?

ENTREVISTADOR: Não entendi a sua insinuação, senhor candidato.

NULO DA SILVA: Não me surpreende a sua declaração de estupidez e ignorância.

ENTREVISTADOR: Senhor candidato…

NULO DA SILVA: Não se sinta ofendido, e tampouco injustiçado. Você é só um jornalista. Não há diferenças significativas entre você e os seus colegas de profissão. Não me entendeu? Explico, para que você possa entender-me. Renomear as secretarias é simples. Alterar a estrutura da burocracia do governo municipal, não. Aqui a porca torce o rabo! Imagine: Se eu reestruturar a burocracia, para reduzir despesas, fazê-la eficiente, terei de demitir muitos funcionário, e cortar gastos, muitos gastos; ao fazê-lo, irei contrariar muitos interesses arraigados, e de muitos parasitas, que há décadas sugam o sangue público. Quantas empresas têm contratos com o governo municipal? Você já pensou nisso? Se reduzir as despesas, reduzirei, automaticamente, a compra de mercadorias, e a contratação de serviços, de empresas com as quais a prefeitura tem contrato assinado, e contrariei interesses de muitos empresários. Este é apenas um dado da equação. E os outros dados? Conquistarei inimigos aos punhados. E sofrerei pressão, se eu não criar uma forte base de sustentação para mim, para renunciar, ou retroceder, e rever as minhas decisões, e reconsiderar a minha política. Serei esmagado, trucidado, antes de fizer ‘Diabos’.

ENTREVISTADOR: Então, o senhor, senhor candidato, havendo uma forte base política para a sua manutenção na cadeira de prefeito, irá reestruturar as secretarias, para reduzir os gastos públicos?

NULO DA SILVA: Não. Claro que não. Sei onde piso. Além disso, em defesa dos meus interesses, e em defesa dos daqueles que me apóiam, e dos dos meus aliados, muitos destes de ocasião, outros com os quais tenho vínculos ideológicos, que não se rompem, eu jamais reduzirei as despesas, e tampouco enxugarei o quadro de pessoal. Quero ampliar o meu poder; para ampliá-lo, terei de atrair aliados e apoiadores, e bajuladores, muitos bajuladores, e estes estarão certos de que terão muito a ganhar comigo, se eu ampliar os gastos, e eu terei muito a ganhar com eles ao comprar-lhes a lealdade.

ENTREVISTADOR: O senhor é maquiavélico, senhor candidato.

NULO DA SILVA: O elogio me cai bem, cai-me como uma luva.

ENTREVISTADOR: Não é um elogio, senhor candidato. É um insulto.

NULO DA SILVA: Aos meus ouvidos soa como um elogio. Você está a louvar a minha inteligência de político gabaritado e tarimbado.

Nota: Interrompemos, neste ponto, a entrevista, para um lanche.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Por Yla Meu Blog

Escritora ○ Poetisa ○ Romancista ○ Lírica

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

%d blogueiros gostam disto: