Para melhor atendê-lo – parte 1 de 6

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

Por meio desta, o Banco vos comunica da medida, estabelecida para melhor atendê-lo, que o Governo Federal tomou, na resolução [número], publicada em [data], no Diário Oficial, para impedir a supressão, que pode prejudicar-vos sobremaneira, da vossa conta corrente e da vossa caderneta de poupança, de valores consideráveis.

O cumprimento, a contento, da medida abaixo apresentada oferecer-vos-á, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, segurança e tranquilidade. Cumprindo-a, o senhor oferecerás ao Banco instrumentos para melhor atendê-lo.

O procedimento atual, que consiste na digitação da senha, para efetivação de operações bancárias, em quaisquer terminais eletrônicos localizados em território nacional e nos caixas e em terminais eletrônicos de quaisquer agências bancárias, no Brasil e no exterior, devido à ação deletéria de ladrões virtuais, não permite que o Banco vos ofereça a segurança que o senhor mereces, e o Banco deseja vos oferecer, para privar-vos de aborrecimentos e preocupações enervantes. Nos doze meses anteriores à esta carta, o Banco vos informa, para inteirar-vos do estado de coisas atual, os crimes virtuais e as violações de contas correntes e cadernetas de poupança aumentaram a níveis intoleráveis. Tais modalidades criminosas popularizaram-se e engendraram medo e insegurança. Para coibir a ação dos criminosos, o Governo Federal, além da medida que o Banco vos anuncia nesta carta, prepara outras medidas de segurança, para a melhoria do sistema bancário nacional.

Tendo em vista a segurança dos correntistas, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, o Banco, em respeito à medida do Governo Federal, e para melhor atendê-lo, a partir de [data], exigirá dos correntistas a digitação, nos caixas e nos terminais eletrônicos, para a execução de operações bancárias de quaisquer espécies:

1, dos dois últimos números do CPF.

O senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, ao digitares, após digitares a vossa senha, os dois últimos números do vosso CPF, darás a vossa contribuição, imprescindível, para o trabalho que o Banco executa com o propósito de garantir a vossa segurança, proporcionandoao Banco os meios para melhor atendê-lo. Tal medida é imprescindível para a tarefa que o senhor confiaste ao Banco: a de guardião do patrimônio que o senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, amealhaste, com o suor do vosso rosto, no transcurso dos vossos vinte e cinco anos de vida profissional com carteira assinada.

O Banco conta com a vossa compreensão, certo de que o senhor contas com o seu valioso trabalho.

De

Gerente Personalizado

*

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

Em respeito à resolução do Governo Federal, o Banco informa:

Em decorrência da elevação dos casos de violação das contas correntes e cadernetas de poupança por ladrões virtuais e do aumento preocupante dos casos de seqüestros e seqüestros relâmpagos, o Governo Federal estabelece:

Os correntistas, de posse do cartão magnético, no ato da efetivação de operações bancárias de quaisquer espécies, nas agências bancárias localizadas no território nacional e no território de quaisquer outros países, e nos terminais eletrônicos, além de digitarem a senha e os dois últimos números do CPF, digitarão, a partir de [data]:

1, o número correspondente ao mês de nascimento.

O Banco, certo de que pode contar com a vossa compreensão, para que melhor possa atendê-lo, vos deseja um ótimo dia.

Felicidades.

De

Gerente Personalizado

*

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

Por meio desta, o Banco vos comunica a norma bancária [número] estabelecida, pelo Governo Federal, com o propósito de obrigar o Banco a melhor atendê-lo, e que visa o vosso benefício, a vossa segurança, o vosso bem-estar, a vossa tranquilidade e a preservação do vosso dinheiro. O Governo Federal, tendo em vista a elevação dos casos de violência contra a integridade da pessoa humana, no Brasil, e os casos de violações das contas bancárias dos brasileiros, estabelece:

1, os bancos têm, obrigatoriamente, de exigir dos correntistas:

a, após a digitação da senha, dos dois últimos números do CPF e do número correspondente ao mês de nascimento, a digitação, nos painéis dos terminais eletrônicos e no caixa, do ano do nascimento.

O Banco conta com a vossa compreensão e a vossa colaboração, para melhor atendê-lo.

De

Gerente Personalizado

*

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

O Banco vos envia esta carta, para vos inteirar da resolução, decidida em [data], do Governo Federal, estabelecida para o vosso bem-estar e a vossa segurança. O Banco melhor irá atendê-lo ao aprimorar o seu sistema de segurança bancária, que se aproxima da perfeição de um sistema inviolável.

O senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, tomaste conhecimento, pelos jornais, revistas, telejornais e blogs, da elevação considerável, nos dois meses anteriores à esta carta, dos casos de violações de contas correntes e cadernetas de poupança e da multiplicação de seqüestros e seqüestros relâmpagos, que são corriqueiros. O Governo Federal, ciente desta preocupante realidade, promoveu uma reunião ministerial para debater, com representantes do sistema bancário nacional, propostas de aprimoramento do sistema de segurança bancária oferecida aos correntistas pelos bancos nacionais. O Governo Federal reconhece que revelaram-se infrutíferas as providências tomadas, nos doze meses anteriores à esta carta, para o aperfeiçoamento do sistema de segurança dos bancos nacionais. Os meliantes souberam criar expedientes, não previstos pelos especialistas nacionais em segurança bancária, para violarem contas correntes e cadernetas de poupança, e suprimirem dinheiro dos correntistas. Os esforços do Governo Federal não foram de todo baldados; todavia, contrariando a expectativa do Governo Federal, que, no seu empenho de oferecer segurança aos brasileiros, implementou normas de segurança bancária concebidas por especialistas nacionais em segurança bancária, os casos de violações de contas correntes e cadernetas de poupança e os de seqüestros e seqüestros relâmpagos aumentaram consideravelmente, como o Banco vos informou acima – e enfatiza tal informação.

Os especialistas em sistema de segurança bancária do Sistema Bancário Nacional do Governo Federal frustraram-se ao se inteirarem do resultado, indesejado, imprevisto, obtido; mas os esforços não foram de todo em vão.

Na semana anterior à esta, em [data], o Governo Federal, com o apoio incondicional dos bancos, tomou a seguinte resolução:

1, A modificação da sequência dos dados que os correntistas têm de, obrigatoriamente, informar aos bancos, ao digitar, ou nos terminais eletrônicos, ou no caixa, para a efetivação de operações bancárias de quaisquer espécies.

Para que não persista nenhuma duvida, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, o Banco elenca os procedimentos para a efetivação de operações bancárias:

Até o presente momento, a digitação, na sequência:

1, da senha;

2, dos dois últimos números do CPF;

3, do número correspondente ao mês do nascimento; e,

4, do ano do nascimento.

Agora, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, segue a sequência estabelecida pelo Governo Federal para melhor atendê-lo:

A digitação:

1, do ano do nascimento;

2, do número correspondente ao mês do nascimento;

3, dos dois últimos números do CPF; e,

4, da senha.

Com tal alteração, o Governo Federal almeja coibir a ação dos meliantes.

O Banco conta com a vossa colaboração, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Para a vossa segurança, executes as digitações na sequência solicitada pelo Governo Federal, para que o Banco possa melhor atendê-lo.

O Banco despede-se com abraços fraternais.

De

Gerente Personalizado

*

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, o senhor há de se lembrar que o Banco, na carta anterior que vos enviou, vos inteirou da resolução, tomada pelo Governo Federal, que vigorou a partir de [data]. O senhor correspondeu à expectativa do Banco, agiu com presteza e correção, digitando, conforme o solicitado, as informações, e na sequência pedida, como cidadão pacato, digno e responsável que sois.

A reputação do Banco faz jus à vossa postura.

O Banco é grato pela compreensão que o senhor tem demonstrado, desde o princípio, ao atender às medidas para melhor atendê-lo.

Vós sois um valioso cliente do Banco e prestimoso cidadão brasileiro.

Nesta carta, o Banco vos informa:

O Governo Federal, para conceder ao Banco instrumentos para melhor atendê-lo, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, pensando no vosso bem-estar e no da vossa família, estabelece novas regras para a efetivação de operações bancárias de quaisquer espécies. As medidas de segurança bancária instituídas pelo Governo Federal – das quais o senhor tomaste conhecimento, na carta de [data] que o Banco vos enviou -, para surpresa dos especialistas do Sistema Bancário Nacional do Governo Federal, não surtiram o efeito desejado: a redução da violência contra os correntistas. Os casos de seqüestros e seqüestros relâmpagos, duas modalidades criminosas que, à revelia do Governo Federal, e apesar de todos os seus esforços para coibir os criminosos à prática de nefandos atos de violência contra a integridade da pessoa humana, cresceram, no Brasil, desde a implementação das novas regras de segurança para melhoria dos serviços bancários, e são, diuturnamente, divulgados pela imprensa, e espalham-se por todo o território nacional, como tumores cancerígenos. O Governo Federal, diante da triste realidade, na reunião, em [data], com especialistas em segurança bancária, tomou, após discussão exaustiva acalorada, providências para inibir os criminosos e defender as pessoas de bem, como o senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas. O Banco apoiou, incondicionalmente, o Governo Federal, em suas novas medidas de segurança, ao reconhecê-las apropriadas para melhor atendê-lo. O Governo Federal e o Banco decidiram revogar as regras, informadas ao senhor na carta anterior, para digitação, no momento da efetivação de quaisquer operações bancárias, nos caixas e nos terminais eletrônicos, como o senhor, desde então, realizaste.

O senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, a partir de [data], digitarás, na sequência (Elencamos os dados, para que o senhor não vos confundis ao executardes as operações bancárias; e não vos preocupais, se vos atrapalhardes: funcionários, treinados pelo Banco, estarão à vossa disposição, para melhor atendê-lo):

1, a senha;

2, os dois últimos números do vosso CPF;

3, o número correspondente ao mês do vosso nascimento; e,

4, o ano do vosso nascimento.

O Banco vos informa que, após estes dados, o senhor, para o Banco melhor atendê-lo, em respeito às novas resoluções do Governo Federal, instituídas em [data], digitarás:

1, o número do vosso RG.

Antes de encerrar esta carta, o Banco vos informa:

Com autorização do Governo Federal, o Banco debitará, da vossa conta corrente, todo mês, no dia subseqüente ao recebimento, pelo senhor, do vosso salário, para o custeio da instalação do novo sistema de segurança bancária, sofisticado e seguro, a quantia, módica, de R$ 1,00, que é uma contribuição provisória indispensável para a maturação do novo sistema, e que o senhor gentilmente ofereces ao Banco, que, com a instalação do novo sistema, melhor irá atendê-lo.

O Banco conta, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, com a vossa cooperação e compreensão.

O Banco, certo de que o senhor corresponderás às suas expectativas, ciente de tratar com um cidadão brasileiro exemplar que encarna as virtudes, louváveis, do povo desta pátria sagrada por natureza, despede-se com votos de felicidade.

De

Gerente Personalizado

*

Brasília, [data]

Ao

Excelentíssimo Senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas.

Prezado senhor,

O Banco, em respeito à resolução [número] do Governo Federal, oficializada após análise minuciosa dos dados referentes aos casos de violações de contas bancárias, clonagens de cartões de crédito e cartões de débito, substituirá, num prazo de três meses, a partir da data da promulgação da resolução, os cartões em mãos dos correntistas por cartões providos de tecnologia inovadora desenvolvida, em território nacional, por profissionais nacionais, para efetivação de quaisquer operações bancárias, nos terminais eletrônicos, nos caixas e em terminais localizados em lotéricas, supermercados, lojas, postos de combustíveis e outros estabelecimentos comerciais.

Para relembrar-vos, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, a sequência da digitação:

1, a senha;

2, os dois últimos números do vosso CPF;

3, o número correspondente ao mês do vosso nascimento;

4, o ano do vosso nascimento; e,

5, o número do vosso RG.

O Banco, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, em favor dos correntistas, estabelece uma modificação num dos dados que os correntistas têm de digitar, para que o Banco melhor possa atendê-lo, a partir de [data]:

1, como indicado no item 2, os correntistas digitam os dois últimos números do CPF; a partir de [data], terão de digitar o número do CPF.

A sequência dos cinco dados a digitar se mantêm.

Após inteirá-lo desta informação, o Banco recorda:

O senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, contribuis, provisoriamente, todo início de mês, com o módico valor de R$ 1,00 para a instalação do novo sistema de segurança bancária.

Agora, o senhor, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, para a instalação do novo sistema de segurança bancária e a substituição do cartão que está em vossas mãos pelo novo cartão de tecnologia avançada criada e desenvolvida por profissionais nacionais, os quais, enfim, são agraciados com reconhecimento e respeito pelo Governo Federal, contribuirás, todo mês, com módicos R$ 2,00. A contribuição, senhor Carlos Roberto de Souza Almeida Vargas, é provisória. O senhor contribuirás, todo mês, até a maturação do novo sistema, o que se dará dentro de seis meses, quando atingirá a obsolescência, e o Banco dele prescindirá, como os especialistas da área tecnológica prevêem.

O Banco conta com a vossa colaboração, e vos tem em alta estima, certo de que o senhor compreendes as motivações do Governo Federal, que, em seu ingente esforço, trabalha, para vos beneficiar, oferecendo ao Banco instrumentos para melhor atendê-lo, e, cidadão responsável e patriótico que sois, acatarás a resolução governamental, ciente de que se trata de medida apropriada para a melhoria do atendimento bancário aos correntistas.

Da vossa participação, redundará, para vosso benefício e o de todos os correntistas, a melhoria dos serviços que o Banco vos prestará, salvaguardando a vossa liberdade, a vossa segurança, o poder aquisitivo do vosso dinheiro e a conservação do vosso patrimônio.

O Banco despede-se, sob votos de felicidade e alegria.

Um abraço.

De

Gerente Personalizado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Por Yla Meu Blog

Escritora ○ Poetisa ○ Romancista ○ Lírica

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

%d blogueiros gostam disto: