O Pensador

Lá estava ele, à Rodin, sentado no banco da praça, a pensar, presumiam, e a pensar, profundamente, numa questão importante para a espécie humana. De longe, toda pessoa o confundia com uma estátua: a do Pensador. Eram idênticos o homem e a estátua. Incorporava o homem o ideal do pensador. Talvez tenha sido ele o homem que serviu de modelo para Rodin. Ele era um homem na altura dos trinta anos. Gilson era o seu nome. Gilson Alvarenga de Souza Lima. Gilson, o pensador. O seu silêncio e a sua postura davam a entender que ele era um sábio.

– Aquele moço é muito inteligente.

– Como diz o ditado: Em boca fechada não entra mosquito.

– Ele é um pensador. Ele pensa antes de falar. É sensato. É inteligente.

Eram esses os comentários que aventaram a respeito de Gilson. Mas não havia unanimidade. Havia vozes destoantes, e uma delas era a de Zulmira, mulher de sessenta anos, ativa na sociedade, forte, vigorosa, sempre a falar; uma cidadã sem papas na língua, corajosa a ponto de abordar o prefeito na rua e dizer-lhe, no rosto, olho no olho, verdades que ninguém ousava lhe dizer. Tinha fama de encrenqueira, e o era, de fato. Temiam-lhe a língua ferina. Ai daquele que lhe conquistasse a desafeição! Tinha de ter muito jogo de cintura para esquivar-se das farpas que ela disparava sem pena nem dó. Zulmira ia da vulgaridade à sutileza num piscar de olhos, surpreendendo a todos.

– Que sábio, o quê! Que pensador, o quê! Ele, parece-me, é mudo – desdenhava Zulmira, referindo-se a Gilson, ao ouvir elogios a ele. – Aquele moço… Ele deve ser mais burro do que uma porta. Está, lá, sentado, há três horas. E nem se mexe. Eu vou tirar a história a limpo.

Sob olhares de curiosos, Zulmira andou, a passos firmes, atravessou a rua, e, na praça, foi na direção de Gilson, que lhe ignorava a aproximação, se postou a um metro de distância dele, e saudou-o, tirando-o da posição que sustentava até então. E ele voltou-se para ela, e fitou-a, alheado. Após alguns segundos, Zulmira perguntou-lhe:

– Em que você estava pensando? Você está sentado, há horas, tal qual uma estátua, a mão no queixo, o cotovelo fincado na perna, a olhar para o chão. Em que você tanto pensa?

– Eu não estava pensando, minha senhora. Eu… – principiou Gilson a falar, e Zulmira logo o interrompeu:

– Você não estava pensando?

– Não.

– E o que você fazia, então, se não pensava?

– Eu olhava para as formigas que estão entrando e saindo daquele formigueiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

Dragão Metafísico

Depósito de palavras, pensamentos e poesias.

%d blogueiros gostam disto: