Pensamento Nacional-Socialista de [Opressão] Direitos [Desumanos] Humanos. [Morte] Ato de Liberdade pós-Natal

Nota: Os trechos entre colchetes estão rasurados no manuscrito.
Há políticas prementes a se estabelecer, [se necessário enviando os recalcitrantes aos campos de concentração], para construir, na Terra, [o céu, o paraíso], a utopia socialista, e oferecer ao povo, que [será esmagado pela] usufruirá da igualdade [perante o partido] de condições, de todos os bens [criados pelo livre-mercado] construídos pelos operários. Inúmeros são os pontos da nossa política liberticida] libertária. Destacaremos, hoje, um deles, que é imprescindível à [demolição da civilização cristã] ereção [do paraíso] da utopia socialista sonhada pelo insigne Karl Marx: o [da Morte] do Ato de Liberdade pós-Natal. Qual a razão de nos dedicarmos à esta [matança sangrenta] política humanitária? Para compreendermos a [sem-razão] razão da atenção que dedicamos ao tema, recuaremos, no tempo, para apresentar a origem da história da civilização ocidental, [a única civilização que ofereceu aos homens a liberdade], que oprime os homens e as mulheres, distinguindo-se da [terrível civilização opressora] humanitária e libertária civilização islâmica. Os livros de História Universal ensina-nos que nasceu, há mais de dois mil anos, em uma região sáfara, um menino, que veio a receber o nome de [Nosso Senhor] Jesus Cristo, cujo nascimento anunciou-o a estrela de Belém, e três [feiticeiros] magos o presentearam com mirra, incenso e ouro. E [Nosso Senhor] Jesus Cristo, já adulto, perambulou por uma vasta região, e disseminou as suas [palavras de sabedoria] sandices, tomadas pelos seus seguidores como palavras de sabedoria, as quais os evangelistas trataram de disseminar por todo o planeta, [libertando] corrompendo os homens e as mulheres [educando-os para o amor a si mesmo e o amor ao próximo, libertando-os, portanto, de pensamentos que lhes esmagavam coração e mente]. O ponto culminante da civilização ocidental foi a Revolução Industrial, [que enriqueceu a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, duas nações cristãs que elevaram o padrão de vida dos seus respectivos povos], que debilitou, e desvirilizou, e emasculou, e entibiou homens e mulheres.

Apresentado este resumo da história [da bem-sucedida e vitoriosa civilização ocidental] do cristianismo, e da sua [bondade inerente] sordidez, bem sucinto, como se lê, compreendemos a origem do pensamento [libertário] liberticida inculcado nos povos [livres] escravizados do ocidente.

Com a política [da Morte] do Ato de Liberdade pós-Natal, [mataremos milhões de infantes] salvaremos milhões de mulheres, [amadas] oprimidas pelos homens, [que as amas e as adoram], que as detestam, e as acorrentam os verdugos, e as vergastam [no ambiente do lar] nas casas, que são senzalas, cárceres, enxovias, ergástulos moralmente fétidos. A política [da Morte] do Ato de Liberdade pós-Natal poderá ser executada em qualquer época do ano, não obrigatoriamente após à [belíssima, encantadora] sórdida comemoração natalina burguesa-capitalista do nascimento de [Nosso Senhor Jesus Cristo] um judeuzinho ranhento em um monturo, nascimento testemunhado por três [reis] vagabundos errantes que atendiam, um, pelo nome de Gaspar, outro, pelo de Belchior, e outro, pelo de Baltazar. Poderá ser executada, também, antes do Natal, ou antes, ou depois, de qualquer outra efeméride [religiosa] burguesa da ultradireita radical, conservadora, fundamentalista e fascista cuja mentalidade está impregnada de valores inquisitoriais da era das [luzes] trevas medievais (tais como a Páscoa – os coelhos capitalistas burgueses põem ovos de chocolate -, a quarta-feira de cinzas, o dia da Independência – que, na verdade, é o dia da dependência aos Estados Unidos – e o dia da Proclamação da República, que foi financiado pela CIA). E, saliente-se, não é imprescindível a sua execução na véspera ou no dia subseqüente às efemérides; pode-se executá-la, na antevéspera, ou três dias, ou quatro dias, ou qualquer dia antes ou depois delas.

Em que consiste [a Morte] o Ato de Liberdade pós-Natal? [A morte] O Ato de Liberdade pós-Natal é um dos pontos principais do projeto [liberticida e genocida] socialista de [corrosão da sociedade cristã] libertação das mentes [dos indivíduos] do povo, subjugado pelo capitalismo, que [gerou riqueza e garantiu as liberdade dos indivíduos] aumentou a desigualdade de renda e matou milhões de pessoas de fome e [liberta] oprime povos em todo o mundo. E [oprime] defende as mulheres, libertando-as das correntes conservadoras de fundo cristão fundamentalista – perdoem-me o pleonasmo. Sabemos que desde o nascimento, na manjedoura, de [Nosso Senhor Jesus Cristo] um judeu ranhento, que, diuturnamente, sujava os cueiros, as mulheres são [respeitadas] oprimidas e [bem-tratadas] mal-tratadas. Inspirados pelas idéias [benéficas] maléficas daquele ilustre personagem, teólogos, filósofos e políticos elaboraram doutrina que [eleva] rebaixa a condição da mulher a objeto dos prazeres luxuriosos dos homens, que passam a ser os seus proprietários. E o enlace matrimonial é a corrente que [liberta] oprime as mulheres. E o corpo das mulheres tornou-se, então, propriedade do homem, que dele pode usar o abusar quando bem entender. E os homens deles usam e abusam quando bem entendem. A mulher, defendemos, [proprietária de seu corpo], tem um corpo, que não é propriedade sua, pois a propriedade como idéia é um [valor que muitos benefícios] ideal corrosivo de [alma] inteligência dos humanos; o corpo da mulher é um bem comum, [para uso e abuso de todos os socialistas – tal ideal é desejado pelos revolucionários que almejam a aniquilação da civilização judaico-cristã, e o corpo da mulher é um instrumento de corrosão], e a mulher não pode usá-lo como bem entender, como o defendem os incautos, pois, sendo bem comum, tem de ser usado com vista à criação da sociedade [libertária genocida] igualitária socialista. [Considerando essa propriedade exclusiva] Tendo em vista o seu uso comum, e não compartilhável com um homem apenas, a mulher pode alterá-lo, seguindo, sempre, o ideal socialista que [a oprime e a despreza] visa a sua libertação do jugo masculino. De seu corpo a mulher pode fazer-se e desfazer-se como bem entender; ela nada deve aos homens, nem satisfações, nem explicações. Ciente desta condição, a mulher, portanto, pode em seu corpo inserir o que desejar, e dele retirar o que lhe desagradar, o que a incomodar. E o ideal socialista, ao contrário da civilização judaico-cristã, concede-lhe esse direito. Milhões de mulheres submetem-se a cirurgias plásticas para alterar aspectos, que as desagradam, de seu corpo, e o direito de fazê-lo é inalienável. Todavia, os cristãos fundamentalistas, os conservadores antiquados – perdoem-me o pleonasmo – não desejam conceder-lhes o direito de [matar crianças em seu estágio intra-uterino] se livrarem de corpos estranhos que lhes adentram, em muitos casos sem o consentimento delas, em outros sem elas os desejarem, os corpos, e se lhes alojam no útero. E as mulheres, então, são obrigadas a carregarem [uma criança] um corpo estranho, uma coisa, com elas durante nove longos e desgastantes meses, podendo vir a falecerem para conservá-lo dentro delas. [Matar as crianças embrionárias] Libertar as mulheres deste fardo é a proposta [de Morte] do Ato de Liberdade pós-Natal. [A Morte] O Ato de Liberdade pós-Natal é [liberticida e infanticida] libertário e humanitário. Todas as mulheres, grávidas ou não, providas de senso-comum socialista, comunista, progressista, stalinisticamente e maoisticamente corretos, têm de apoiar tal política, [ou o Partido as fuzilará ao paredón, sem perder a ternura, ou as enviará para o Gulag], se assim o desejarem; e as recalcitrantes serão persuadidas a apoiarem-na ao compreenderem as razões para a sua implementação.[No seu avanço gradativo de imposição dos ideais socialistas liberticidas, com a ocupação gramsciana dos espaços nas universidades, na mídia, no cinema, na literatura, remunerando, regiamente, blogueiros, o Partido, elimina toda força de resistência ao seu projeto de poder absoluto; no entanto, ainda não obteve a censura da mídia e a centralização da polícia sob comando do executivo federal. Estamos a dois passos de estabelecermos o inferno socialista na Terra. Oprimindo] Libertando as mulheres de fardos que lhes exaurem as forças, concedemos-lhes o usufruto de seu corpo, para o seu benefício e bem-estar. [A morte] O Ato de Liberdade pós-Natal é uma das medidas do programa de adoção dos ideais socialistas, [que dizimaram cem milhões de almas humanas], que libertaram milhões de seres humanos do jugo capitalista ocidental de inspiração judaico-cristã.

Avante, camaradas!

De Leninevitch Stalininski

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Polifonia Literária

Um espaço voltado para o desenvolvimento criativo de textos literários.

divinoleitao.in

Rede pessoal de Divino Leitão.

Reflexões para os dias finais

Pensamentos, reflexões, observações sobre o mundo e o tempo.

PERSPECTIVA ONLINE

"LA PERSPECTIVA, SI ES REAL, EXIGE LA MULTIPLICIDAD" (JULIÁN MARÍAS)

Pensei e escrevi aqui

— Porque nós somos aleatórias —

On fairy-stories

Fantasia, Faërie e J.R.R. Tolkien

DIÁRIO DE UM LINGUISTA

Um blog sobre língua e outros assuntos

Brasil de Longe

O Brasil visto do exterior

Cultus Deorum Brasil

Tudo sobre o Cultus Deorum Romanorum, a Antiga Religião Tradicional Romana.

Carlos Eduardo Novaes

Crônicas e outras literatices

Coquetel Kuleshov

um site sobre cinema, cinema e, talvez, tv

Leituras do Ano

E o que elas me fazem pensar.

Leonardo Faccioni | Libertas virorum fortium pectora acuit

Arca de considerações epistemológicas e ponderações quotidianas sob o prisma das liberdades tradicionais, em busca de ordem, verdade e justiça.

Admirável Leitura

Ler torna a vida bela

LER É UM VÍCIO

PARA QUEM É VICIADO EM LEITURA

Por Yla Meu Blog

Escritora ○ Poetisa ○ Romancista ○ Lírica

Velho General

História Militar, Geopolítica, Defesa e Segurança

Espiritualidade Ortodoxa

Espiritualidade Ortodoxa

Entre Dois Mundos

Página dedicada ao livro Entre Dois Mundos.

Olhares do Mundo

Este blog publica reportagens produzidas por alunos de Jornalismo da Universidade Mackenzie para a disciplina "Jornalismo e a Política Internacional".

Bios Theoretikos

Rascunho de uma vida intelectual

O Recanto de Richard Foxe

Ciência, esoterismo, religião e história sem dogmas e sem censuras.

.

.

Prosas e Cafés

(...) tudo bem acordar, escovar os dentes, tomar um café e continuar - Caio Fernando Abreu

OLAVO PASCUCCI

O pensamento vivo e pulsante de Olavo Pascucci

Clássicos Traduzidos

Em busca das melhores traduções dos clássicos da literatura

Ensaios e Notas

artes, humanidades e ciências sociais

Minhas traduções poéticas

Site de tradução de poesias e de letras de música

Além do Roteiro

Confira o podcast Além do Roteiro no Spotify!

Farofa Filosófica

Ciências Humanas em debate: conteúdo para descascar abacaxis...

Humanidade em Cena

Reflexões sobre a vida a partir do cinema e do entretenimento em geral

resistenciaantisocialismo

Na luta contra o câncer da civilização!

História e crítica cultural

"Cada momento, vivido à vista de Deus, pode trazer uma decisão inesperada" (Dietrich Bonhoeffer)

Devaneios Irrelevantes

Reflexões desimportantes de mais um na multidão com tempo livre e sensações estranhas

Enlaces Literários

Onde um conto sempre puxa o outro!

Ventilador de Verdades

O ventilador sopra as verdades que você tem medo de sentir.

%d blogueiros gostam disto: